Sardes – O Espírito e Vida São Essenciais

Tempo de leitura: 4 minutos

Sardes  o Espírito e Vida São Essenciais, está igreja é descrita em apocalipse 3:1-6.

Esse nome quer dizer: restauração, e essa igreja representa o período da história da igreja após a reforma.

Sardes - O Essencial é Espírito e Vida

Sardes a Igreja Morta

O Senhor diz: “Conheço as tuas obras, que tens nome de que vive e estás morto” (v.1).

Era como se o Senhor lhe dissesse: “vocês têm nome de que vive, dizendo-se restauração, mas não fizeram a verdadeira obra de restauração,

tem a aparência, mas falta-lhes a realidade, tem o nome, mas falta-lhes a prática,

antes praticam doutrinas e deixam de lado o que é mais importante e essencial: Espírito e Vida.”

O Chamado de Deus aos irmãos de Sardes

Diante da situação em que se encontravam, Deus chamou um grupo de irmãos da igreja de Sardes,

para que saíssem daquela condição e se tornasse Filadélfia, uma igreja que invoca o nome do Senhor,

guardavam e praticavam a sua palavra: Essa é a verdadeira Restauração.

Pelo fato de invocar o nome de Deus, ler a sua palavra e orar, eles se voltaram ao espírito

e assim recebiam e desfrutavam do espírito da vida que nela há. O fluir da vida é amor e Filadélfia significa amor fraternal.

A igreja em Filadélfia também teve como galardão a coroa de vida (Ap 3:11), a mesma que o Senhor já tinha concedido a igreja em Esmirna (Ap 2:10 b),

porque esta igreja praticava a verdadeira restauração do Senhor. O apóstolo João percebeu quanto crescimento espiritual

ocorria na vida de quem invocava o nome do Senhor, liam a sua palavra e oravam.

Porém João procurou levar os irmãos da igreja em Éfeso a invocar o nome do Senhor, ler e orar.

Eles praticaram e pelo espírito ganharam vida. Por causa disso houve uma grande mudança na condição daquela igreja:

Os irmãos ficaram cheios de vida. Depois disso, cremos que João se deu conta de que esses irmãos podiam receber as palavras de Apocalipse

que lhe foram reveladas e as transmitiu para eles. Provavelmente João tenha lhes falado acerca das quatros visões de Apocalipse.

As quatro visões de apocalipse

A Primeira Visão

A primeira visão é das sete igrejas, que são sete candelabros de ouro (Ap1-3), e diz respeito à história da igreja.

A segunda Visão

Abrange o início da era neotestamentária até a eternidade futura, quando o reino deste mundo se tornará de nosso Senhor e de seu Cristo (Ap. 4:16).

A terceira visão

É a visão da queda da grande babilônia religiosa e material (Ap 17:18) bem como a destruição do ante Cristo do falso profeta e todos os seus exércitos. Satanás será amarrado no abismo por mil anos, e desta forma, se iniciará o reino milenar.

A quarta Grande visão

Que João teve sobre a nova Jerusalém (Ap 21:22). João quis praticar com a igreja em Éfeso o que viu acerca da história da igreja,

representada pelas sete igrejas em apocalipse (v.2,3). Ele quis levar os santos ali o espírito e a vida que havia recebido nessas quatros visões.

O modo de praticar isso foi levá-los a invocar o nome do Senhor e ruminar a palavra, para que pudessem estar no Espírito.

João se deu conta, também, que havia em Éfeso uma excelente epístola, escrita por Paulo que, no entanto, foram tomadas pelos efésios, de maneira judicial.

As verdades não praticadas

Havia nelas muitas verdades, portanto não foram praticadas. Se a igreja em Éfeso as tivesse praticado, então ela seria, de fato, uma igreja desejável (O significado da palavra Éfeso).

Naquele momento, entretanto, a igreja em Éfeso não era desejável, porque os irmãos ali não aprenderam a viver no espírito dia-a-dia.

João tomou o encargo aplicar, ou seja, de praticar ali o conteúdo da carta de Paulo

– resgatar essas verdades da esfera jurídica para a esfera orgânica. Que todos, da mesma maneira, saímos de toda esfera judicial que ainda existe em nós, para entrar e permanecer na esfera orgânica!

Veja Outras Notas Aqui

 

Deixe seu comentário