O Perigo da Falsa Religiosidade

Tempo de leitura: 7 minutos

 O Perigo da Falsa Religiosidade. Este é o tema da lição “jovens” que estudaremos essa semana. Está lição fala da hipocrisia dos Escribas e Fariseus no tempo de Jesus, mas que infelizmente ainda estamos nos deparando com esta realidade nos dias atuais.

O Perigo da Falsa Religiosidade

 

          A INJUSTIÇA DA FALSA RELIGIOSIDADE (Mt 15:1-9)

As Acusações Injustas Dos Escribas e Fariseus (vv. 1,2).

Jesus estava em uma cidade chamada Genesaré, pregando o evangelho e curando enfermos (Mt14:34-36).

Alguns escribas e fariseus vinham de Jerusalém para observar Jesus e procurar algo que possa lhe incriminar,

viram que seus discípulos comiam com as mãos sem lavá-las. por este motivo eles iniciam as criticas,

O que incomodava os escribas não era a falta de higiene, mas a questão cerimonial, ou seja, a tradição,

pois a torá fazia algumas previsões a respeito da pureza ritual (Lv 11:15; Nm 5:1-4). Portanto a questão levantada pelos escribas não constava nelas,

porém acusavam Jesus e seus discípulos injustamente com base na tradição deles que era um acréscimo feito pelos homens e não por Deus.

Os Acusadores Eram na Verdade os Transgressores

(vv. 3-9).

O PERIGO DA FALSA RELIGIOSIDADE

As acusações dos escribas e fariseus de transgredir as tradições dos anciões, como se eles fossem puros e honestos.

No v. 3, Jesus questiona o fato por eles terem transgredido o mandamento de Deus. Jesus acusa os fariseus e escribas de terem invalidado o mandamento de Deus

Observe o que Jesus diz no versículo (6) “E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus”.

A lei mosaica é citada por Jesus, o quinto mandamento em que o filho deve honrar pai e mãe, e que tinha a penalidade de morte para quem a transgrediste.

Mas para que não atendesse a necessidades materiais dos seus pais, alegavam que o bem que possuía era oferta ao Senhor ou seja era Corbã.

Segundo o Antigo Testamento “os rabinos permitiam que o filho infiel fizesse a mera declaração dessa palavra para deixar de usar o dinheiro necessário para o sustento do pai ou mãe.”

Os fariseus e escribas que acusavam Jesus eram na verdade os transgressores da lei. Confira:  Comentário Mateus & Marcos – A. T. Robertson.

O Profeta Isaías já Havia Reprovado a Falsa Religiosidade (vv. 7,8).

Jesus repreende seus acusadores e mostra que por ganância, eles estavam burlando a lei de Mosaica.

Jesus chama os fariseus de hipócritas e demostra a atitude errada deles citando (Is 29:13)

“  Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído;”

O profeta Isaías reprovava a falsa religiosidade do seu povo, diversa vezes havia citado que o seu povo adorava a Deus somente com palavras,

mas o coração deles estava bem longe do Senhor. Observe que o importante é que a palavra de Deus seja cumprida, a prática da justiça e a verdade de Deus.

 A CEGUEIRA DA FALSA RELIGIOSIDADE

A Cegueira Espiritual Dos Escribas e Fariseus (v. 14).

O PERIGO DA FALSA RELIGIOSIDADE

Jesus não se intimidou, ao contrário o exortou e chamou de cegos e condutor de cegos. Os fariseus se apegaram a questões secundaria à tradição humana

E se privavam de observar a lei divina. Na verdade, o que estava incomodando eles, era a popularidade de Jesus, os testemunhos as curas, todos queriam ouvir seus sermões,

Os discursos monótonos e repetitivos dos fariseus já não tinham mais graça e não chamavam mais atenção do povo.

A Dificuldade de Pedro em Compreender o Ensino de Jesus.

Os discípulos de Jesus também tiveram dificuldade em aprender, Pedro não se envergonhava de perguntar e fazia isso na frente de todos.

Certa vez Pedro perguntou: “Explica-nos essa parábola” (Mt 15.15). Não podemos nos importar com areação das pessoas,

se queremos realmente aprender devemos perguntar e tirar todas as nossas dúvidas.

O que Contamina o Homem é o Que Procede do Coração (Mt 15.17-19).

Jesus explica aos seus discípulos que o que contamina o homem não o que entra pela sua boca e sim o que vem do seu coração,

É  dentro do homem que vem os maus pensamentos: Adultério, morte, prostituição, blasfema entre outros.

Os ensinos errados dos escribas e fariseus influenciam muitos religiosos ainda hoje, infelizmente temos pessoas valorizando mais as tradições humanas,

que a inerrante palavra de Deus. Jesus deixou claro que o que contamina o homem é a falsa religiosidade e não o comer sem lavar as mãos.

Jesus combate duramente a hipocrisia, a falsa santidade e espiritualidade dos Escribas e fariseus.

 A MERCANTILIZAÇÃO DA FÉ E DA ADORAÇÃO PELA FALSA RELIGIOSIDADE (Mt 21.12-17)

. Os Falsos Religiosos Transformaram o Templo em Covil de Ladrões (v. 13).

Jesus fica indignado ao entrar no templo e vê o comercio que estava estabelecido na área que ficava na parte externa do templo e era aberta aos judeus e gentios.

Ali ficava a venda de animais que seriam usados para os sacrifícios e quem se beneficiava disso era os sacerdotes e os levitas,

uma vez que este comercio gerava muito dinheiro. Jesus expulsa os cambistas do templo e cita o texto de Isaias 56:7, que diz:

“Também os levarei ao meu santo monte, e os alegrarei na minha casa de oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar; porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos.”

O propósito do Senhor era de restaurar a verdadeira finalidade do templo que era oração e adoração

Os Falsos Religiosos Querem Calar o Louvor Genuíno

(vv. 15,16).

Jesus curou cegos e aleijados no templo, segundo alguns comentaristas “Davi proibiu que os cegos e coxos entrassem no Templo”.

Mas Jesus o filho de Deus veio reverter esse preceito legal, e demostrando que a casa de Deus é para todos os necessitados.

Logo depois Mateus relata que alguns meninos vieram a Ele e clamando: “Hosana ao filho de Davi” (v.15).

Ao ouvir esses louvores a ira dos fariseus aumenta ainda mais, e tentam envergonhar a Jesus questionando o procedimento dos meninos,

Mas para sua surpresa o Senhor responde com o salmo 8:2 que diz:

“Tu ordenaste força da boca das crianças e dos que mamam, por causa dos teus inimigos, para fazer calar ao inimigo e ao vingador.”

Observe que este texto de Mateus mostra duas situações contrárias; de um lado temos líderes do templo e cambistas lucrando com o uso indevido das tradições religiosas,

E do outro, as crianças que ofereceram o verdadeiro louvor ao filho de deus pela libertação dos cegos e coxos e pela restauração da ordem da casa de Deus.

Observe que uma das principais causas da morte de Jesus foi a posição dele contra mercantilização da religião e que os testemunhos de Jesus se espalharam rapidamente, todos queriam ver e ouvir o mestre.

CONCLUSÃO

Conseguimos aprender a respeito da falsa religiosidade, analisando as atitudes erradas do escribas e fariseus.

Eles acusaram os discípulos de Jesus de não cumprir a tradição religiosa. Mas Jesus nos mostra o quanto eles estavam errados

Em dar mais atenção as tradições do que a própria palavra de Deus. O templo foi purificado, quando Jesus expulsou os cambistas

Reprovando a atitude gananciosa dos líderes religiosos que fizeram da casa de Deus covil de ladrões.

Veja Outras Lições Aqui

 

Deixe seu comentário